Empanadas Chilenas – Várias conexões

Empanadas Chilenas

Já faz um tempinho que eu queria testar essa receita de empanadas chilenas (ou empanadas de pino / empanadas de horno) da minha irmã e contar as tantas histórias das conexões que temos com o Chile. Havia feito empanadas chilenas apenas uma vez na vida, no curso de culinária, mas este ano recebi um incentivo e tanto para faze-las novamente: um presente incrível, o Merkén, tempero vindo diretamente do Chile e que eu ganhei da querida Fernanda Uslar, uma amiga virtual (mas nem tanto) , que é meio chilena/meio brasileira, que eu tive o prazer de conhecer através do blog.

Antes mesmo de conhecer o Chile, em 2015, eu já tinha uma ligação especial com esse país, por vários motivos… uma das minhas músicas favoritas, que hoje eu encaro quase como um lema de vida, foi composta por uma chilena. Apesar de ter conhecido a música “Gracias a La Vida” pela interpretação da argentina Mercedes Sosa, sei que a sua compositora é a chilena Violeta Parra. Cresci ouvindo essa música junto a minha mãe, que também gosta muito, e ouvindo também a história de como meus pais decidiram que queriam mais um filho, que no caso veio a ser eu! Minha mãe conta que eles foram visitar um amigo chileno do meu pai, que havia acabado de ter um filho e que fez com que eles ficassem com vontade de ter mais um também! rs… Isso foi no final de 1986, e no final do 1987 eu nasci! Uhu!!

Além das diversas histórias que ouvi sobre esse amigo chileno, o Raul, sobre idas de carro ao Chile, entre outras aventuras, conheci também um cobrador de ônibus que era chileno e que eu encontrava todos os dias, na época que eu comecei a trabalhar mais longe de casa e pegava sempre no mesmo horário o ônibus da linha Ana Rosa/Brasilândia (acho que era o 975A). Eu ficava próxima à catraca (quando conseguia, o ônibus estava sempre lotado) e esse cobrador, o Luiz (um querido), colocava a minha mochila no braço da poltrona e me contava muitas histórias sobre o Chile! Como era a capital, Santiago, o sistema de transporte moderno de lá, sobre a Cordilheira, sobre a vinda dele pra cá fugindo da ditadura, sobre as festas chilenas que aconteciam aqui e as empanadas chilenas. Tanta coisa bacana e que, além de tudo, faziam com que o tempo ali, naquele aperto matinal, passasse muito mais rápido e ainda por cima fosse muito interessante! Isso despertou mais interesse ainda pelo Chile, seu povo e sua cultura! (Existe amor em SP!)

Depois disso foi um pulinho para me apaixonar pela língua espanhola, fazer aulas para aprende-la e finalmente marcar uma viagem para conhecer Santiago do Chile, Viña del Mar e Valparaíso. Tenho as melhores lembranças dessa viagem, da comida, do povo, da água congelante do Pacífico, da incrível Cordilheira, do vinho e tudo mais que só indo para lá para saber!

Espero que gostem da receita e sintam um gostinho do que é a cultura do povo chileno! Segundo a Fernanda, as empanadas originais levam o Merkén (saiba mais aqui), para mim realmente fez toda a diferença no sabor! Muuuuuito obrigada Fe, espero que goste da receita e do post, que faça jus ao seu carinho comigo e às suas origens!

Veja outras receitas de entradas aqui.

Empanadas Chilenas

Rendimento: de 15 a 20 empanadas

Dificuldade: Difícil

Tempo de preparo: 1 hora e 30 minutos

Ingredientes:

Massa
  • 500 g de farinha de trigo
  • 100 g de manteiga
  • 250 ml de água
  • 1 ovo
  • 1/2 colher (sopa) de sal
  • 2 gemas, para pincelar
Recheio
  • 400 g de carne moída (de preferência patinho)
  • 2 cebolas
  • 2 dentes de alho
  • 1 colher (café) de Mérken (tempero chileno defumado)
  • 1/2 colher (sopa) de orégano
  • 1/2 colher (sopa) de sal
  • 1/2 colher (sopa) de açúcar
  • 1 colher (sopa) de farinha de trigo
  • 2 colheres (sopa) de uva passa preta
  • 30 g de azeitonas
Modo de Preparo:
  1. Primeiro a massa: Misture a farinha e o sal na tigela da batedeira. Adicione o ovo batido e a água e misture bem. Comece a bater em velocidade baixa e vá acrescentando a manteiga ao poucos. Bata até a massa ficar bem lisa e homogênea. Não ponha mais farinha além do pedido na receita. Reserve a massa na geladeira por cerca de 30 minutos.
  2. Enquanto a massa descansa faça o recheio: Pique a cebola e o alho. Leve a carne moída ao fogo em uma panela e refogue até que ela esteja dourada. Em seguida, junte os demais ingredientes do recheio e cozinhe por mais alguns minutos. Prove e acerte o sal. Deixe esfriar.
  3. Retire a massa da geladeira e abra deixando com 0,5 cm de espessura e corte círculos de 15 cm de diâmetro.
  4. Coloque o recheio no centro da massa e feche formando meia-luas. Passe um pouco de água nas bordas para ajudar a grudar. Faça dobras para que o recheio não escape e pincele com as gemas batidas com um pouquinho de água.
  5. Leve para assar em forno pré-aquecido a 220ºC até que estejam douradas, mais ou menos 20 minutos (mas depende muito do seu forno).

Bom apetite!!

Beijos,

Deixe uma resposta