Focaccia, um pão diferente

focaccia pão pizza cebola

Outro gosto que herdei da minha mãe, além do arroz, é o por pão. Até pouco tempo eu ainda tinha um pouco de dificuldade em fazê-lo em casa, mas depois de acertar (na segunda tentativa) uma receita do pão de forma caseiro da Rita Lobo (já estou na quarta remessa) e de aprender mais alguns truques nas aulas de culinária, estou ficando craque (modéstia a parte rs). Sorte a minha de ter finalmente aprendido, pois eu amo um pão caseiro! Por isso não desista se não der certo de primeira!

Mas também, meus pais me acostumaram muito mal… Foram anos comendo pão francês fresquinho com manteiga, todas as manhãs. O pão francês paulistano é um dos melhores, mesmo o daquela padaria do bairro que permanece praticamente imutável por mais de 20 anos, resistindo às mudanças e modernidades… já falei diversas vezes com a minha mãe sobre isso. Ela, que agora vive no interior, sempre reclama de como sente saudades do pão daqui e me pergunta “a padaria está lá daquele mesmo jeito de sempre?”, e eu digo “Está mãe, do mesmo jeitinho”. rs… Outra boa lembrança com pães tem novamente a ver com o sítio.

Se o pão francês daqui é bom, não há nada igual ao pãozinho caseiro do sítio, feito pelo meu tio Li. Amarelinho, por causa do ovo caipira. Como era bom acordar com aquele cheirinho de pão, feito no forno à lenha! Que privilégio! A vontade de comer era tanta que a gente quase queimava os dedos ao segurá-los, ainda quentes… passávamos a manteiga, que no mesmo instante derretia, e para acompanhar tínhamos uma bela xícara de café com leite… Em seguida, eu e minhas primas, Maísa e Flávia, saíamos para mais um dia de brincadeira no sítio, que ia de pescaria a casinha na árvore, de andar a cavalo ao banho na valeta. Essa lembrança é tão boa que meus olhos até enchem de água de tanta emoção…

Enfim, para um iniciante em pães, a receita abaixo é muito boa! Achei mais fácil assar o pão espalhado na assadeira, acho que foi isso. Dar forma ao pão normalmente não é tarefa muito fácil. Essa cobertura de cebola fica muito boa também, crocante, e o gostinho do azeite, hum… Capriche no azeite!

Focaccia

Rendimento: 6 a 8 porções

Dificuldade: Média

Tempo de preparo: 1 hora e 30 minutos

Ingredientes:

  • 750g de farinha de trigo
  • 80 ml de azeite, para a massa
  • 2 colheres (chá) de sal
  • 2 e 1/2 colheres (sopa) de açúcar
  • 10g de fermento biológico seco
  • Em torno de 2 xícaras (chá) de água, em temperatura ambiente
  • Azeite a gosto, para a cobertura
  • 1/2 xícara (chá) de vinho branco seco (opcional)
  • 2 galhos de alecrim
  • 1 cebola roxa (opcional)
  • Sal grosso a gosto
Modo de preparo:
  1. Em um tigela pequena junte o fermento, 2 colheres (sopa) da farinha e 100 ml da água, misture bem e deixe descansar por 5 minutos, para ativar o fermento. Se estiver frio, a água deve estar morna. Ele deve espumar, senão deixe por mais alguns minutos. Se nada acontecer, comece novamente rs… Ao final você terá o que é chamado de esponja, que é o fermento ativado.
  2. Enquanto o fermento é ativado, misture a farinha, o sal e o açúcar em uma tigela grande.
  3. Faça um buraco no meio da farinha e coloque a esponja. Misture com a farinha e vá incorporando a água aos poucos, utilizando até 2/3 do total da receita. Em seguida, misture o azeite. A massa deve ficar úmida e elástica, um pouco grudenta. Se necessário, acrescente o restante da água. Sove a massa na tigela ou em bancada enfarinhada por 10 minutos, até que ela esteja completamente homogênea. Faça uma bola, coloque na tigela, cubra com um pano e deixe descansar em local seco e protegido por 10 minutos.
  4. Ligue o forno a 200ºC, para pré-aquecer por 20 minutos.
  5. Pegue uma assadeira retangular grande (mais que 30 cm de comprimento) e unte com bastante azeite. Abra a massa com as mãos e vá esticando até formar um retângulo. Coloque na forma e abra até ocupá-la totalmente, em seguida vire a massa e aperte com os dedos, marcando toda a massa. Salpique com o sal grosso, espalhe os ramos de alecrim e a cebola roxa cortada em fatias bem finas, regue com o vinho e um pouco mais de azeite e leve para descansar coberta com um pano por mais 10 minutos.
  6. Leve ao forno por mais ou menos 45 minutos, virando de 15 em 15 minutos, para que doure por igual. Se necessário deixe um pouco mais, mas cuidado para não queimar. Não se assuste se parecer meio cru por cima, a massa fica bastante úmida no centro, por causa do azeite e do vinho.
  7. Retire do forno e desenforme com a ajuda de uma tábua. Se possível, deixe esfriar sobre uma grelha para que se mantenha crocante, e também para cortar sem desfazê-la. Resista à tentação de cortá-la e comê-la quente! rs…

Você pode variar a cobertura com azeitonas ou anchovas também, além de parmesão ralado e outras ervas além do alecrim. Além disso, pode fazer uma pizza, apenas cobrindo com molho de tomate e o recheio de sua preferência.

Espero que gostem!

Beijos

A Focaccia indo ao forno, coberta de cebola roxa

Deixe uma resposta